sexta-feira, 31 de julho de 2015

HAUSER, Hellmuth (*24/02/1916†05/09/2004)

Promoções:
01/04/37 2º Tenente
01/08/39 1º Tenente
01/04/42 Capitão
01/05/44 Major








Principais condecorações:
? Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
? Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
08/12/41 Troféu de Honra da Luftwaffe
09/09/42 Cruz Germânica em ouro
23/12/42 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro
Principais posições/comandos:
??/06/40 - 23/05/42 Stab/KG 51 Edelweiss
24/05/42 - 05/08/42 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 5./KG 51 Edelweiss
??/10/42 - 30/06/43 Em Curso de E-M na LKS¹
01/07/43 - ??/08/43 E-M da 3ª Frota Aérea
??/08/43 - 07/01/44 E-M da 4ª Divisão Aérea
08/01/44 - ??/03/45 E-M Geral da Luftwaffe
??/03/45 - ??/05/45 Chefe de Operações no E-M da 4ª Divisão Aérea

Obs.: ¹ Escola de guerra aérea.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

ASCHENBRENNER, Heinrich (*08/07/1895†11/12/1960)

Promoções:
31/08/14 Soldado (Exército)
08/05/15 Cabo
18/05/15 Sargento Jr.
31/05/15 2º Tenente
01/04/25 1º Tenente
01/02/30 Capitão
01/10/33 Capitão (Luftwaffe)
01/01/35 Major
01/03/37 Tenente-coronel
01/06/39 Coronel
01/08/42 Major-general
01/08/44 Tenente-general

Principais condecorações:
? Cruz de Ferro 1914 2ª Classe
? Cruz de Ferro 1914 1ª Classe
? Cruz de Ferro 1939 2ª Classe (broche)
? Cruz de Ferro 1939 1ª Classe (broche)
21/09/42 Cruz Germânica em prata
Principais posições/comandos:
01/04/38 - 31/08/39 Cmte. Escola de Comunicações Aéreas
01/09/39 - 30/09/39 Líder de Comunicações da VIII Região Aérea
01/10/39 - 22/06/41 Adido Militar em Moscou
29/06/41 - 30/09/42 Alto Líder de Comunicações da 2ª Frota Aérea
01/10/42 - 10/04/45 Alto Líder de Comunicações do Cmdo. Geral da Luftwaffe
??/10/43 - 24/12/43 Alto Líder de Comunicações da 5ª Frota Aérea
28/06/44 - 08/05/45 Inspetor de Pessoal Estrangeiro do Leste

segunda-feira, 27 de julho de 2015

LEYKAUF, Erwin (*22/01/1918†07/09/2007)

Promoções:
01/10/40 2º Tenente
01/10/42 1º Tenente










Principais condecorações:
??/??/40 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
??/??/40 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
23/06/42 Cruz Germânica em ouro









Principais posições/comandos:
??/05/40 - ??/10/41 2./JG 21, depois 7./JG 54 Grünherz
??/10/41 - 31/12/41 III./JG 54 Grünherz
01/01/42 - 05/04/43 8./JG 54 Grünherz
06/04/43 - 10/07/43 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 12./JG 54 Grünherz
27/07/43 - 30/10/44 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 11./JG 54 Grünherz
31/10/44 - ??/11/44 IV./JG 54 Grünherz
??/11/44 - 26/03/45 II./JG 3 Udet
27/03/45 - ??/05/45 JG 7 Nowotny
Resumo pessoal:
. Número de abates: 33
. Número de missões: 551
. Aviões: Me Bf 109F/G, Fw 190A, Me 262A
. Histórico de abates:
10/05/40 - 1º
02/09/40 - 5º
17/07/41 - 10º
16/01/42 - 14º/15º
22/06/42 - 18º/23º (6!)
09/07/42 - 25º
06/11/43 - 30º
05/04/44 - 33º


JENNE, Peter (*05/06/1920†02/03/1945)

Promoções:
01/04/41 2º Tenente
01/04/43 1º Tenente
01/04/44 Capitão






 


Principais condecorações:
??/??/42 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
??/??/42 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
20/11/42 Troféu de Honra da Luftwaffe
01/04/43 Cruz Germânica em ouro
02/02/45 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro
Principais posições/comandos:
??/07/42 - 08/10/43 1./ZG 1, depois 1./ZG 26 Horst Wessel
09/10/43 - ??/08/44 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 1./ZG 26 Horst Wessel
??/08/44 - 11/09/44 III./JG 300 Wilde Sau
12/09/44 - 31/12/44 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 12./JG 300 Wilde Sau
01/01/45 - 02/03/45¹ Cmte. de Grupo III./JG 300 Wilde Sau
Resumo pessoal:
. Número de abates: 17
. Número de missões: ?
. Aviões: Me Bf 110G, Me Bf 109G
Obs.: ¹ Abatido e morto em combate aéreo. Destruiu ainda 12 tanques, 10 posições de artilharia e 8 lançadores de foguetes.

sábado, 25 de julho de 2015

ORZEGOWSKI, Ernst (*19/10/1919†02/08/2005)

Promoções:
??/??/39 Soldado
??/??/41 Sargento Jr.
??/??/43 1º Sargento
??/??/44 Aspirante
??/??/45 2º Tenente





 

Principais condecorações:
12/09/42 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
22/10/42 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
22/02/43 Troféu de Honra da Luftwaffe
12/07/43 Cruz Germânica em ouro
05/10/43 Broche Operacional de Voo em Ouro com pendnente
14/01/45 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro






Principais posições:
??/07/42 - ??/??/44 4./St.G 77, depois 4./SG 77
??/??/44 - ??/05/45 7./SG 10
Resumo pessoal:
. Número de abates: 3
. Número de missões: 682
. Aviões: Ju 87
Obs.: Destruiu também 31 tanques.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

BABENZ, Emil (*01/01/1919†08/04/1944)

Promoções:
??/??/40 Sargento Jr.
01/07/41 1º Sargento
01/08/42 Sargento-major









Principais condecorações:
??/??/41 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
??/??/41 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
? Troféu de Honra da Luftwaffe
15/10/42 Cruz Germânica em ouro
Principais posições:
01/06/40 - ??/12/42 3. e 11./JG 26 Schlageter
??/12/42 - 09/03/43 I./JG 51 Mölders
10/03/43 - ??/09/43 1./JG 53 Pik As
??/09/43 - 08/04/44 2./JG 26 Schlageter
Resumo pessoal:
. Número de abates: 24
. Número de missões: 335
. Aviões: Me Bf 109, Fw 190A
. Histórico de abates:
17/04/41 - 1º
21/08/41 - 5º
08/03/42 - 10º
29/05/42 - 15º
19/08/42 - 19º/21º
18/04/43 - 24º

BAAGOE, Sophus (*04/03/1915†14/05/1941)

Promoções:
01/04/37 2º Tenente
??/??/39 1º Tenente










Principais condecorações:
13/05/40 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
30/06/40 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
14/06/41 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro (póstuma)
Principais posições:
??/09/39 - 14/05/41¹ 8. e 5./ZG 26 Horst Wessel
Resumo pessoal:
. Número de abates: 14
. Número de missões: ~ 95
. Aviões: Me Bf 110D
. Histórico de abates:
12/05/40 - 1º
27/05/40 - 2º/3º
10/07/40 - 5º/6º
18/08/40 - 8º/9º
31/08/40 - 10º
03/09/40 - 11º/12º
26/09/40 - 13º
20/04/41 - 14º
Obs.: ¹ Abatido e morto durante a invasão da ilha de Creta.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

MISCH, Rochus (*29/07/1917†05/09/2013)

Promoções:
? Soldado-SS
??/08/39 Cabo-SS
? 3º Sargento-SS
? 2º Sargento-SS
? 1º Sargento-SS







Principais condecorações:
??/09/39 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
Principais posições:
??/??/38 - 24/09/39¹ Regimento-SS Adolf Hitler (LSSAH)
??/05/40 - 02/05/45³ FBK²

Obs.: ¹ Ferido. ² Führerbegleitkommando - Comando de Escolta do Führer. ³ Capturado pelos soviéticos em Berlim. Misch serviu como guarda-costas de Hitler por cinco anos e esteve ao seu lado todo este tempo onde quer que o Führer estivesse. Atuou também como mensageiro, ordenança, enfermeiro, garçon e telefonista. Nos meses finais da guerra também se transferiu para o bunker subterrâneo em Berlim e foi uma das poucas testemunhas dos últimos dias de vida de Adolf Hitler. Passou oito anos em cativeiro russo e chegou a ser torturado pelo serviço secreto a fim de revelar o real paradeiro de seu chefe, já que, naquela época, não se acreditava na morte do ditador alemão. Considerado o último sobrevivente do abrigo subterrâneo de Hitler até sua morte há menos de dois anos atrás. Seus depoimentos foram fundamentais para a montagem de vários livros, documentários e filmes que retrataram aquela época.





sábado, 18 de julho de 2015

BORMANN, Martin Ludwig (*17/06/1900†02/05/1945)


A eminência parda

Martin Bormann foi uma das figuras mais controversas do 3º Reich. Odiado por quase todos os políticos mais próximos de Hitler, quando este assumiu o poder, e totalmente ignorado pelos generais. Mesmo com esta péssima reputação conseguiu total confiança do Führer.
Bormann nasceu em Wegeleben, no estado da Saxônia-Anhalt, em jun./1900, filho de um funcionário público dos correios. Não se dedicou aos estudos como deveria e abandonou cedo a escola indo trabalhar numa fazenda. Entediado com o trabalho no campo voluntariou-se no Exército logo que completou dezoito anos, devido às necessidades da 1ª Grande Guerra. Muito jovem sequer chegou a ser enviado ao front, uma vez que o conflito mundial logo terminou sem que ele tivesse visto ação de perto.
De volta ao trabalho agrícola juntou-se ao Freikorps¹ de Mecklenburg onde conheceu Rudolf Höss² (vide bio aqui) tornando-se um agitador brutal assim como tantos outros desocupados que perambulavam pelas cidades alemãs em meio ao sofrimento do povo que pagava alto preço social pela derrota na guerra. 
Em mai./1923 envolveu-se no assassinato de um professor espancado até a morte. Foi condenado a um ano de prisão e ao sair filiou-se ao incipiente Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP). Em set./1929 casou-se com uma jovem de 19 anos, Gerda,  filha de um advogado que trabalhava para a corte jurídica do partido. Sua proximidade com Hitler já era notória nesta época dado que este foi seu padrinho na união matrimonial. No ano seguinte foi nomeado administrador do fundo de seguro de acidentes pessoais que cobria os integrantes do partido feridos em agitações políticas. Em abr./1931 passou a membro do comitê que administrava os fundos do partido em Munique. Sua importância nos bastidores da agremiação política só crescia até que em outubro daquele ano foi indicado para trabalhar na Chancelaria do NSDAP recebendo ordens diretas de Adolf Hitler.
Em jul./1933, após a subida do partido no governo, Bormann foi feito chefe de gabinete de Rudolf Hess, (vide bio aqui) nada menos do que o substituto de Hitler no NSDAP em âmbito nacional e o terceiro no Reich. Nesta posição ele acumulou diversos cargos de prestígio dentro do partido e do governo. Hitler o considerava um parvo, mas sua eficiência em trabalhos complicados lhe servia como uma luva. Enquanto uns levavam dias para executar uma ordem sua, Bormann a cumpria em menos de duas horas sem esquecer-se de nada. A confiança do ditador era tanta que lhe delegou a administração de seus recursos pessoais. A partir de então passou a despertar a inveja e o ódio de muitos daqueles que cercavam o Führer. Bormann com acesso direto a ele fazia um trabalho sorrateiro de destruir a reputação de seus inimigos. Tornou-se um fomentador de intrigas e ganhou um apelido pelas costas nada honroso - a eminência parda.
Coube também a Bormann, entre abr./1937-abr./38, a administração da mão de obra utilizada na construção, bastante arriscada, da casa de chá nos alpes bávaros (Ninho da Águia - vide detalhes aqui) bem como, anteriormente, a desapropriação de todos os moradores antigos das redondezas para construção de um imenso complexo de residências, hotéis, quartéis e etc., vizinhos ao Bergohf (vide detalhes aqui). Nesta tarefa ele agiu com brutalidade, expulsando os campesinos e pagando-lhes valor irrisório por suas propriedades. Andava armado e rodeado de capangas.
Com o início da 2ª Guerra, Hitler o tinha como o mais próximo colaborador. O líder nazista não era chegado a dar ordens por escrito. Fazia isso pessoalmente ou por telefone. Cabia a Bormann transformar estas ordens verbais em documentos datilografados, assinados e divulgados para cumprimento imediato. Obviamente ele acrescentava um tom ainda mais exigente naquelas dirigidas a seus desafetos pessoais.
Em mai./1941, após a viagem insana de Rudolf Hess (vide bio aqui) para a Inglaterra, Bormann foi feito chefe da Chancelaria do NSDAP e dois anos depois designado secretário pessoal de Hitler, tarefa que ela já vinha desempenhando. Trabalhou incansavelmente para fortalecer o prestígio do partido diante dos generais e da chefia das SS. Permaneceu nestas funções até o fim da guerra.
Não há registro algum na literatura existente que indique enriquecimento pessoal de Bormann em razão da posição de destaque que atingiu durante o 3º Reich. Sabe-se que ele construiu uma grande casa no complexo habitacional acima descrito para abrigar sua enorme família - Gerda, sua esposa, deu-lhe dez filhos que frequentavam o Bergohf e brincavam com o "tio Adolf". Cabe acrescentar, contudo, que ele tivera diversos casos extraconjugais, alguns dos quais de conhecimento público e de sua mulher.
Em meados de jan./1945, com a guerra já perdida, Hitler e seus mais próximos colaboradores, Bormann entre eles, mudaram-se para o bunker subterrâneo da Chancelaria em Berlim. Fisicamente alquebrado pelo peso dos medicamentos que recebia em profusão assim como pelo desgosto psicológico que o fracasso das seguidas derrotas militares lhe trouxe, o ditador germânico ficara ainda mais dependente de Bormann, um dos poucos a quem ele depositava total confiança. Nos últimos dias antes do suicídio de seu mestre, "a eminência parda" ainda teve a chance de colocar ainda mais lenha na fogueira de seu ódio contra dois de seus principais rivais - Göring e Himmler. O primeiro reivindicara, por escrito, a sucessão do tirano e o segundo, secretamente, entrara em contato com os aliados na tentativa de selar um armistício salvador. Bormann, ao tomar conhecimento destes fatos, já que uma de suas atribuições era filtrar tudo que o Führer recebia, tratou logo de persuadir a sua mente já debilitada alegando tratar-se de dois atos de altíssima traição. Na confusão generalizada daqueles terríveis dias, quando as tropas do Exército Vermelho já estavam próximas do abrigo, Hitler teve um dos seus piores acessos de fúria cujos gritos foram ouvidos até pelas sentinelas do lado de fora do bunker. Göring e Himmler receberam ordens de prisão onde quer que fossem encontrados e já estariam destituídos de todos os cargos que ocupavam no governo e no partido. Fegelein (vide bio aqui), ajudante de Himmler, que ainda se encontrava na capital, teve destino ainda mais nefasto. Preso pelas SS, quando já se preparava para deixar a Alemanha, foi trazido à Chancelaria e sumariamente fuzilado por deserção sem julgamento.
No dia seguinte ao suicídio de Hitler, um grupo de fugitivos do bunker, inclusive Bormann, tentou escapar dos soviéticos para entregar-se aos aliados ocidentais³, mas a ação não deu certo e o fomentador de intrigas do Reich desapareceu misteriosamente. Alguns dos que conseguiram sobreviver afirmaram terem visto Bormann estendido próximo a uma ponte cercada pelos russos, mas o corpo nunca foi localizado.
O mistério do desaparecimento ou morte de Bormann durou quase três décadas. No Tribunal Internacional de Nuremberg ele foi julgado e condenado a morte mesmo estando ausente.
Em dez./1972 uma obra civil escavando nas proximidades onde ele supostamente havia morrido, encontrou uma ossada que lhe foi atribuída e a medicina forense atestou a suspeita acrescentando que restos de cápsula de vidro também haviam sido achados dentro do maxilar. Em abril do ano seguinte a justiça declarou oficialmente que Bormann havia morrido ao tentar fugir do cerco soviético ingerindo veneno (prática muito comum entre militares e políticos de prestígio). Mais recentemente, em 1998, testes de DNA na ossada encontrada confirmaram, definitivamente, as conclusões de 1973. Assim termina a história de Martin Bormann, uma personalidade que até hoje inspira muita curiosidade.
Promoções:
30/01/37 General-SA
20/04/40 General-SS (Gerais)
Principais condecorações:
? Medalha da Ordem de Sangue do NSDAP
Principais posições:
??/07/33 - 12/05/41 Chefe de Gabinete de Rudolf Hess
10/10/33 - 01/05/45 Líder Nacional e Porta-voz do NSDAP
??/11/33 - 01/05/45 Deputado Federal pelo NSDAP
12/05/41 - 01/05/45 Chefe da Chancelaria do NSDAP
12/04/43 - 30/04/45 Secretário pessoal de Adolf Hitler

Obs.: ¹ Corpos francos - grupos de mercenários nacionalistas do pós guerra que lutaram contra o comunismo e de cujas fileiras saíram diversos membros do Partido dos Trabalhadores Alemães. ² Não confundir com Rudolf Hess. Höss, mais tarde, seria o sanguinário comandante do mais terrível campo de extermínio nazista - Auschwitz. ³ Este era o pensamento comum dos envolvidos diretamente na guerra, soldados ou políticos, pois consideravam, acertadamente, que sendo capturados pelos russos o sofrimento seria muito maior devido ao espírito revanchista que existia no seio soviético em função dos crimes brutais cometidos pelos nazistas em suas terras, onde milhões foram executados.

Sempre à espreita
O homem sombra
Alguns de seus desafetos cara a cara
A numerosa família ainda ia crescer
Lado a lado
Solidariedade após o atentado de 20/07/44
Circulo íntimo de amizades do Führer: Bormann à direita

Com Rudolf Hess

quarta-feira, 15 de julho de 2015

CASIMIR, Artur von (*04/09/1908†15/12/2005)

Promoções:
??/??/35 2º Tenente
??/??/37 1º Tenente
??/??/39 Capitão
01/04/41 Major








Principais condecorações:
?
Principais posições/comandos:
01/02/38 - 28/02/39 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 1./KG 254, depois 1./KG 155
01/03/39 - 04/09/39 RLM¹
05/09/39 - 15/10/39 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 15./KG z.b.V. 1
08/11/39 - 15/02/40 Cmte. de Grupo III./KG z.b.V. 1
16/02/40 - 29/05/40² Cmte. de Grupo KGr. 100 Viking

Obs.: ¹ Ministério da Aviação do Reich. ² Abatido e capturado pelos noruegueses. 



O bombardeiro bimotor  He 111H que ele pilotava quando foi abatido caiu no lago Jonsvatnet, próximo a cidade norueguesa de Trondheim, submergindo mais de 70 metros em suas águas geladas. Sessenta e quatro anos depois uma expedição resgatou a aeronave com a participação do próprio Casimir, então com 96 anos. No ano seguinte faleceu.


KEIPER, Ludwig (*23/04/1894†24/05/1981)

Promoções:
05/07/12 Cadete (Exército)
23/03/13 Aspirante
17/02/14 2º Tenente
18/04/17 1º Tenente
01/11/24 Capitão
01/12/33 Capitão (Luftwaffe)
01/04/34 Major
01/03/36 Tenente-coronel
01/04/38 Coronel
01/01/41 Major-general
01/01/43 Tenente-general


Principais condecorações:
? Cruz de Ferro 1914 2ª Classe
? Cruz de Ferro 1914 1ª Classe
? Cruz de Ferro 1939 2ª Classe (broche)
? Cruz de Ferro 1939 1ª Classe (broche)
Principais posições/comandos:
01/10/37 - 31/07/38 E-M do Cmdo. da I Região Aérea
01/08/38 - 31/10/38 E-M do Cmdo. da Luftwaffe na Prússia Oriental
01/11/38 - 25/08/39 Cmte. de Ala (Comodoro) do Aufkl. 11
26/08/39 - 31/07/40 Líder da Luftwaffe no 4º Exército
01/08/40 - 31/01/41 Chefe da Comissão de Controle I
01/02/41 - 21/10/44 Chefe da Missão da Luftwaffe na Eslováquia

Obs.: Aposentou-se em 28/02/45.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

REDLICH, Karl Wolfgang (*13/12/1914†29/05/1944)

Promoções:
20/04/36 2º Tenente
31/12/38 1º Tenente
01/08/41 Capitão
01/07/43 Major








Principais condecorações:
06/06/39 Cruz Espanhola com Espadas em Ouro
11/05/40 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
29/05/40 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
26/10/40 Troféu de Honra da Luftwaffe
19/06/41 Broche Operacional de Voo em Ouro
09/07/41 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro
02/07/42 Cruz Germânica em ouro



  

Principais posições/comandos:
13/09/38 - 30/06/39 2.J/ 88 "Legião Condor"
01/07/39 - 30/09/39 ZG 26
01/10/39 - 30/11/41 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 1./JG 27, depois Afrika
05/12/41 - 25/01/42 E-M Geral da Luftwaffe
26/01/42 - 18/11/42 Chefe de Operações no E-M do Líder Aéreo da África
19/11/42 - 19/05/43 E-M da 2º Corpo Aéreo
10/06/43 - 07/08/43 E-M do 12º Corpo Aéreo
08/08/43 - ??/11/43 E-M do Cmdo. da Luftwaffe no Centro
??/11/43 - 21/04/44 Cmte. VFS¹
22/04/44 - 19/05/44 E-M da 1ª Frota Aérea
20/05/44 - 29/05/44² Cmte. de Grupo I./JG 27
Resumo pessoal:
. Número de abates: 41 (4 na Espanha)
. Número de missões: 253
. Aviões: Me Bf 109G
. Histórico de abates:
05/11/38 - 1º
28/12/38 - 2º
04/01/39 - 3º
05/02/39 - 4º
11/05/40 - 5º
13/06/40 - 10º/11º
19/04/41 - 15º/16º
16/05/41 - 20º
18/06/41 - 25º
20/11/41 - 30º
23/11/41 - 35º/37º
05/12/41 - 40º
29/05/44 - 41º
Obs.: ¹ (Verbändsführerschule) Escola de formação de líderes aéreos.
² Abatido e morto em combate aéreo na Áustria.

NORZ, Jakob (*20/10/1920†16/09/1944)

Promoções:
??/??/41 Sargento Jr
01/09/42 1º Sargento
01/07/43 Sargento-major
01/06/44 2º Tenente








Principais condecorações:
??/??/42 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
??/??/43 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
13/09/43 Troféu de Honra da Luftwaffe
17/10/43 Cruz Germânica em ouro
26/03/44 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro







Principais posições:
??/10/41 - ??/01/42 I./NJG 2
??/01/42 - ??/04/42 JG 51 Mölders
??/04/42 - ??/07/44 11./JG 1, depois 8./JG 5 Eismeer
??/08/44 - 16/09/44¹ 6./JG 5 Eismeer
Resumo pessoal:
. Número de abates: 117
. Número de missões: 332
. Aviões: Me Bf 109F/G
. Histórico de abates²:
10/08/42 - 1º
30/03/43 - 10º
05/06/43 - 17º/18º
23/08/43 - 30º
06/09/43 - 40º
25/11/43 - 50º
17/03/44 - 66º/70º (5!)
28/06/44 - 80º
09/07/44 - 90º
17/08/44 - 100º
16/09/44 - 117º
Obs.: ¹ Abatido e morto em combate aéreo na Finlândia. ² Relação não definitiva.


ROELL, Werner Paul (*08/02/1914†10/05/2008)

Promoções:
??/??/37 2º Tenente
??/??/39 1º Tenente
??/??/42 Capitão
01/09/43 Major








Principais condecorações:
? Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
? Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
24/11/41 Cruz Germânica em ouro
25/05/43 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro








Principais posições/comandos:
??/??/37 - ??/04/41 I./St.G 165, depois I./St.G 77
??/04/41 - ??/??/42 Cmte. de Esquadrilha (Capitão) do 4./St.G 77
??/??/42 - 19/02/43 Stab/St.G 77 
20/02/43 - 30/11/43 Cmte. de Grupo I./St.G 77, depois I./SG 77
01/12/43 - ??/03/45 LKS¹ de Berlim
??/04/45 - ??/05/45 JV 44
Resumo pessoal:
. Número de missões: 477
. Aviões: Ju 87, Me 262
Obs.: ¹ Escola de guerra aérea.


domingo, 12 de julho de 2015

OHMSEN, Walter (*07/06/1911†19/02/1988)

Promoções:
01/04/33 Marinheiro
01/09/34 3º Sargento
01/09/36 2º Sargento
01/11/36 1º Sargento
01/07/37 Sargento-major
01/07/40 Suboficial
29/09/41 Guarda-marinha
01/01/42 2º Tenente
01/07/42 1º Tenente


  
Principais condecorações:
07/06/44 Cruz de Ferro 1939 2ª Classe
07/06/44 Cruz de Ferro 1939 1ª Classe
14/06/44 Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro
Principais posições:
12/12/34 - 31/12/43 Escola de Artilharia Naval de Sassnitz
01/02/44 - 11/06/44 Cmte. Bateria Crisbecq¹

Obs.: ¹ Também conhecida como Bateria Naval de Costa Marcouf - situada no litoral próximo à vila francesa de Saint-Marcouf, na Normandia. Única posição de artilharia pesada da costa da península de Cotentin. Tratava-se de um complexo sistema de defesa de costa que fazia parte da chamada "Muralha do Atlântico", contudo sua conclusão total fora adiada devido aos incessantes bombardeios aéreos. Era composta por uma guarnição de 314 homens, subordinada ao 260º Batalhão de Artilharia Naval. No dia-D (06/06/44) Ohmsen resistiu heroicamente aos ataques da enorme força naval que se aproximou da costa e infligiu pesadas baixas aos navios invasores nas proximidades da praia chamada pelos aliados de Utah. Dispunha de apenas dois canhões de 210 mm (dos seis planejados sob casa matas), nove posições de artilharia antiaérea (20 e 75 mm) e dezessete pontos de metralhadoras fixas. A resistência de seus bravos homens durou por cinco dias quando finalmente Ohmsen recebeu ordens de abandonar sua posição e recuar para uma nova linha de defesa mais ao norte. Foi capturado em 26/06 pelos norte-americanos em Cherbourg. As ruínas do que restou ainda persistem no local até hoje e fazem parte de um museu em alusão ao Dia-D.