sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

INSÍGNIAS DE CAMPANHA DE DEFESA (Ärmelschild)

Estas insígnias foram instituídas a fim de valorizar o feito dos militares em campanhas exclusivamente defensivas. Seu desenho seguia um padrão único na forma de escudo em "U" com a águia nazista na parte superior. As batalhas de defesa que mereceram a criação destas insígnias foram: o porto de Narvik na Noruega; o cerco à cidade de Demiansk na Bielorrússia; a batalha pela defesa da península da Crimeia na Ucrânia; na cabeça-de-ponte russa de Kuban e na fortaleza de Cholm. O uso das mesmas de acordo com o regulamento era para ser costurada no antebraço esquerdo do uniforme. Caso fosse um militar das Waffen-SS deveria usá-la acima da águia característica da farda. Abaixo a imagem das referidas insígnias com a data de sua introdução:

19/08/40 Narvik
01/07/42 Cholm
25/07/42 Crimeia
25/04/43 Demiansk
20/09/43 Kuban

A insígnia da campanha de defesa do porto de Narvik, a precursora, foi instituída em duas classes: prata e ouro, sendo a última destinada exclusivamente ao pessoal da Kriegsmarine. Tripulantes de navios mercantes que transportaram tropas do exército, também foram agraciados.
O escudo relativo à defesa da península da Criméia teve uma única versão em ouro entregue ao Marechal von Manstein (vide bio aqui) pela vitória contra os soviéticos naquela região.
Outras insígnias desta natureza chegaram a ser produzidas, contudo suas aprovações foram efetivadas no final da guerra e algumas sequer foram concedidas. Há também os casos de não aprovação ou produção local sem o aval do OKH, portanto todas são consideradas não-oficiais. É o caso dos escudos da Lapônia, Bálcãs, Lorient, Varsóvia, Arnheim e Stalingrado.
A seguir é apresentada a foto de dois militares usando suas insígnias de campanha de defesa:


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

INSÍGNIA DE COMBATE CORPO A CORPO (Nahkampfspange)

A Insígnia de Combate Corpo a Corpo do Exército/Waffen-SS foi instituída em 25/11/42 destinada aos soldados de infantaria que tivessem participado com coragem e determinação em combate próximo ao inimigo por longo período. Havia três classes: bronze (15 dias de combate corpo a corpo ou 10 dias de combate aproximado ao inimigo), prata (30/20 dias) e ouro (50/40 dias). Era uma condecoração altamente honrosa e Hitler fazia questão de entregar pessoalmente a versão em ouro. A partir de 30/08/44 todos aqueles que recebiam a versão em ouro automaticamente faziam jus a receber a Cruz Germânica em ouro. Era, segundo o regulamento militar do Exército, para ser usada na parte mais alta do bolso superior esquerdo da farda, acima de qualquer outra medalha. A seguir apresenta-se a figura de seu desenho:

Insígnia de Combate Corpo a Corpo em bronze
Insígnia de Combate Corpo a Corpo em Ouro
Em 03/11/44 também a Luftwaffe introduziu insígnia semelhante, uma vez que grande parte de sua tropa de terra vinha sendo usada como soldado regular de infantaria, principalmente as unidades paraquedistas. A introdução tardia desta insígnia penalizou alguns militares que já haviam se destacado anteriormente em campo de batalha, então uma forma reparadora desta injustiça foi adotada. Também havia três classes idênticas ao modelo do Exército e seu desenho é apresentado a seguir:

Insígnia de Combate Corpo a Corpo - Luftwaffe
Militares usando as suas insígnias de combate corpo a corpo:




INSÍGNIAS DO EXÉRCITO E WAFFEN-SS

O Exército alemão instituiu diversas insígnias a fim de distinguir os militares que se destacavam em suas especialidades de atuação. O desenho delas seguia o padrão das outras armas das Wehrmacht - uma coroa de folhas de louro em forma oval com uma águia do exército em sua parte superior segurando uma suástica em ½ giro em suas garras. No interior da coroa o símbolo respectivo da categoria do soldado agraciado. O uso no uniforme determinado pelo regulamento militar também seguia a mesma forma da Kriegsmarine e Luftwaffe - sobre o bolso superior esquerdo da farda ao lado das demais condecorações se fosse o caso. A seguir as imagens das insígnias com suas datas de instituição:








01/09/37 Paraquedista
20/12/39 Assalto de Infantaria - prata e bronze
20/12/39 Assalto Panzer - bronze e prata
01/01/40 Assalto Geral
13/07/41 Artilharia Antiaérea
19/08/40 Antiguerrilha em prata
08/07/44 Observador de Balão
Antes mesmo de estourar a 2ª Guerra Mundial, ainda durante a Guerra Civil Espanhola, o exército adotou a Insígnia de Assalto Panzer da Legião Condor (Panzertruppenabzeichen der Legion Condor). Uma única versão em ouro foi confeccionada e entregue ao General von Thoma (vide bio aqui), em 19/05/39. O desenho da insígnia pode observado a seguir:

??/09/36 Assalto Panzer Legião Condor
Também foram confeccionadas insígnias em tecido a serem costuradas no braço do uniforme. As mais conhecidas são:

20/08/44 Atirador de elite
23/10/42 Motorista - prata e ouro
09/03/42 Destruidor de Tanque em prata

Em 01/06/40 foram criadas as versões em prata das insígnias de assalto de infantaria (Infanterie-Sturmabzeichen) e assalto panzer (Panzerkampfabzeichen) a fim de diferenciar os militares que tivessem participado de três ou mais ações de assalto em diferentes dias. E em 22/06/43 a versão em prata da insígnia de assalto panzer passou a incorporar um numeral em sua parte inferior representando número de dias em combate (25, 50, 75 e 100) com o objetivo de destacar aqueles militares que porventura tivessem lutado em campanhas duradouras:

22/06/43 Insígnia de Assalto Panzer em prata "25"
Panzerkampfabzeichen 75 (Panzer Assault Badge).:
"75"
Na mesma ocasião também foi introduzida alteração semelhante na insígnia de assalto geral (Allgemeines Sturmabzeichen), com algumas alterações no desenho:

22/06/43 Insígnia de Assalto Geral "100"
Sturmabzeichen 3. Stufe mit Einsatzzahl 50 (General Assault Badge):
"50"
A insígnia de destruidor de tanque (Panzervernichtungsabzeichen) teve uma nova versão com a placa em ouro introduzida em 18/12/43 a fim de contemplar os militares que tivessem destruído cinco tanques do inimigo com armas de mão. A versão padrão em prata era cabível ao militar que tivesse destruído apenas um tanque, portanto uma de ouro equivalia a cinco de prata. Era comum observar um soldado que portasse em seu antebraço direito várias destas insígnias, veja as fotos a seguir:

18/12/43 Destruidor de Tanque em ouro

A insígnia antiguerrilha (Bandenkampfabzeichen) tinha três classes de acordo com o número de dias que o agraciado tivesse participado de ações contra grupos guerrilheiros: bronze (20 dias), prata (50 dias) e ouro (100 dias).

Anti-Partisan War Badge Gold Finish ( one of my favorite Nazi. Medals !):
Em ouro
A insígnia de atirador de elite (Scharfschuetzenabzeichen) possuía três classes conforme o número de vítimas confirmadas (20, 40 e 60) e se diferenciava pela linha do contorno da cabeça da águia no tecido.
A insígnia de motorista (Kraftfahrbewährungsabzeichen) estendia-se aos condutores civis e possuía três classes (placas em bronze, prata e ouro) de acordo com um complicado critério que considerava o número de dias em serviço, o tipo do veículo e o teatro de operações.
Com tantas medalhas, condecorações, broches e insígnias instituídas e concedidas, alguns militares mais pareciam uma "árvore de Natal" pela quantidade que carregavam em sua túnica, observe:



INSÍGNIAS DA KRIEGSMARINE

A Marinha de Guerra do Reich (Kriegsmarine) também instituiu o uso de várias insígnias a fim de identificar o militar conforme a sua categoria de atuação. Assim é que as tripulações ou guarnições costeiras que tivessem se destacado no dever militar ou em combate e até mesmo o contingente da marinha mercante ou tripulações de navios aliados ao Eixo foram contemplados. O desenho destas insígnias navais seguia o mesmo modelo adotado pelo Exército e pela Luftwaffe, ou seja uma coroa de folhas de louros de forma oval com a águia, símbolo da arma, segurando uma suástica em suas garras. No interior da coroa o símbolo que expressava a especialidade do militar. Conforme determinava o regulamento seu uso era sobre o bolso superior esquerdo do uniforme. A seguir apresenta-se as imagens das insígnias com sua data de instituição e alguns documentos entregues no momento da premiação:

13/10/39 Submarinista

31/08/40 Varredor de Minas

04/06/40 Destróier
01/04/41 Furador de Bloqueio
24/04/41 Cruzador Auxiliar
30/04/41 Frota de Alto Mar
24/06/41 Artilharia de Costa
30/05/41 Lancha Torpedeira

Uma outra insígnia relativa a unidades navais médias - pequenas embarcações e submarinos de bolso - (Kampfabzeichen der Kleimkampfmittel) foi instituída em 30/11/44 em 7 graus, sendo os 3 últimos em forma de broche (bronze, prata e ouro) com a figura de um peixe-espada entrelaçado e os demais em tecido, a ser costurada no braço direito da farda. O complicado critério de merecimento adotado bem como sua introdução tardia não permitiu grandes concessões. Vide desenhos abaixo:

3º grau
6º grau - prata
A insígnia de submarinista com diamantes (U-Boot Kriegsabzeichen mit brillanten) era concedida, via de regra, a todo comandante de submarino que já tivesse sido agraciado com a Cruz de Cavaleiro com Folhas de Carvalho. Apenas 29 destas condecorações foram entregues. Seu uso no uniforme se diferenciava das demais insígnias, pois era normalmente usado acima do bolso e não sobre ele, contudo era comum usá-lo também abaixo deste conforme pode ser observado em diversas fotos da época.

15/07/41 Submarinista com Diamantes
A fim de eliminar a injustiça causada a tripulação de submarinos que não possuía qualquer insígnia, uma vez que a existente era somente concedida aos comandantes, criou-se em mai./1944 o Broche de Submarinista  (U-Boot Frontspange) em três versões: bronze (15/05/44), prata (24/11/44) e ouro (cuja data de introdução é desconhecida). Seu uso na farda, tal qual o broche operacional de voo da Luftwaffe, deveria ficar acima da barra de fitas de medalha, acima do bolso superior esquerdo.

Broche de Submarinista
Por fim, em nov./1944 criou-se o Broche de Combate Naval (Marine Frontspange) a fim de agraciar aqueles tripulantes militares ou civis que não tivessem recebido condecoração específica alguma, contudo tenham se destacado com mérito em ações de guerra naval. Seu uso seguia o padrão do broche acima citado. Os não militares usavam uma miniatura presa à lapela do casaco.

19/11/44 Broche de Combate Naval
Na foto seguinte pode-se observar o então Capitão-tenente Metzler, comandante de U-boot, usando sua insígnia de submarinista abaixo de sua Cruz de Ferro 1939 1ª Classe.